Início > Cinema > O espetacular Homem-Aranha

O espetacular Homem-Aranha

Eu já esperava alguma docilidade desse Aranha do Marc Webb. Mas o que o sujeito que fez (500) Dias com ela entrega é mais que isso: um reboot decente, que devia ter muita torcida contra (eu), que não incomoda por ser absurdamente redundante, que elimina as nerdices dos filmes do Sam Raimi — o que não é assim tão legal –, amplifica o drama familiar (os créditos vão para Martin Sheen e os semblantes chorosos de Sally Field) e abre caminho para um casalzinho (Garfield/Emma) que, olha, simplesmente combina em tudo. Ah, e o bônus: por ser tudo isso aí, O espetacular Homem-Aranha sugere um otimismo incrivelmente yes we can, Obama pra reeleição!, I s2 NY. Enfim, o primeiro filme de super-herói anti-Nolan (anti-Dark knight) de Hollywood.

Isso de limar a trama de auto-homenagens e explicações esmeradas sobre gracejos sci-fi (as tais nerdices do Raimi) deixa a saga do meu herói favorito, aquele que aprendi a venerar quando tinha uns 12, 13 anos, voltava da escola correndo para ligar a tevê e me angustiar com um Peter Parker cheio de coisas na cabeça (ainda posso ouvir aquela narração em off), enredado nas maluquices de vilões risonhos e macabros — estou falando desta série aqui –, essas ausências desnudam rapidinho a intenção de Webb — renovar o herói para uma geração em que nerds têm amigos, conhecem as garotas e, o principal, namoram as garotas.

Mesmo sendo eu um devoto dos dois primeiros do Raimi — Homem-Aranha (2002) ainda é, acho, a sessão de cinema mais impactante da minha vida –, reconheço o que existe de realmente bom no filme de Webb: que é a sutileza das atuações de Andrew Garfield e Emma Stone, um mui agradável par de jovens cientistas — Garfield é o garotão inteligente que anda de skate, tem um pôster de Janela indiscreta no quarto, sabe se divertir, mas continua apanhando do Flash; Emma é a loirinha que eu queria ter conhecido aos 17 anos. (O que existe de realmente ruim: o CGI à Hulk do Dr. Connors.)

Eis o problema: aqui, não tem Kirsten Dunst inclinando a cabecinha para os lados com os olhos quase fechados de tanta paixão, não tem Maguire abobalhado de tanto amor e medo, não tem a tia May trêmula, de gestos quebradiços, não tem Harry criando tensão entre Peter e MJ, não tem Jonah Jameson indignado com as ótimas fotos do Aranha clicadas por Peter, não tem MJ dizendo I better run, tiger, não tem Willem Dafoe barbarizando a Oscorp. Não tem Raimi — levei quatro parágrafos para cair em mim e sacar isso; e eu ia dizer que também não tem Hero, do Nickelback, confesso. Não tem arrepio nem calafrio.

O espetacular Homem-Aranha (The amazing Spider-Man, EUA, 2012, 136 min). De Marc Webb. Com Andrew Garfield, Emma Stone e Rhys Ifans. Cotação: 3/5.

Anúncios
  1. Nenhum comentário ainda.
  1. No trackbacks yet.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: