Início > Música > LiveLoveA$AP/The year of hibernation

LiveLoveA$AP/The year of hibernation

dezembro 12, 2011 9:00 pm Deixe um comentário Go to comments

ASAP Rocky

LiveLoveA$AP (Sony/RCA/Polo Grounds). 4/5

A estreia desse rapper de Manhattan, NY, é dessas mixtapes que você ouve duas, três, quatro vezes e consegue diferenciar as faixas sem correr o risco de errar o título de nenhuma delas — veja que, com isso, não ouso compará-la à obra-prima do The Weeknd, House of balloons.

É que Rakim Mayers, 23, junto com meia dúzia de produtores, usa os samples de maneira surpreendentemente orgânica para um first timer: um rap tipicamente da costa leste — com descarada influência do Wu-Tang Clan –, chegado a timbres de jazz, mas com ecos vocais e sonoros que lembram os abusados do Odd Future ou a língua solta do Lil B — “for instance, I get-get my dick licked”, ele observa, em Keep it G. Vale acompanhar o 2012 do coletivo ASAP (ou A$AP; Always Strive and Prosper).

As três mais: Get lit (feat. Fat Tony), Keep it G (feat. Chace Infinite & SpaceghostPurrp) e Houston old head.

Em verso: These bitches is persistent, talking about I’m distant / Lost my mind a long time ago to find it, need forensics (Keep it G).

Youth Lagoon

The year of hibernation (Fat Possum). 4/5

Aham, tô sabendo que todo mundo já escutou esse disco e que ele é um dos melhores trabalhos de estreia do ano. Só comecei a escutar semana passada — o atolamento de torrents faz isso. Atraso tirado, vamos ao que interessa. O novato Trevor Powers, 22, nome real do Lagoon, me impressionou muito: o dream pop dele guarda alguma semelhança com, digamos, o Beach House do Teen dream, mas exibe ruídos lo-fi típicos de um estreante meio solitário, que gravou um disco homemade, do seu jeito.

Trevor não é irônico, ainda bem — uma nostalgia sem reservas –, e isso torna a audição de Year of hibernation uma viagem sonora de vozerios delicados e ambientações eletrônicas pontuadas por acordes de guitarra: faixas como Posters e July começam contidas, tímidas, e, no tempo certo, descortinam as melodias mais simples do ano. Simplicidade, aliás, é a última coisa que você espera de um disco de dream pop, não é mesmo?

As três mais: Posters, Afternoon e July.

Em verso: We scaled a ladder ascending to the roof / While five years ago I weeped and no one knew / Holding my guitar, I strummed a tune / I sang “I love you but I have to cut you loose” (July).

Anúncios
  1. Nenhum comentário ainda.
  1. No trackbacks yet.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: