Inicial > Música > LiveLoveA$AP/The year of hibernation

LiveLoveA$AP/The year of hibernation

dezembro 12, 2011 9:00 pm Deixe um comentário Go to comments

ASAP Rocky

LiveLoveA$AP (Sony/RCA/Polo Grounds). 4/5

A estreia desse rapper de Manhattan, NY, é dessas mixtapes que você ouve duas, três, quatro vezes e consegue diferenciar as faixas sem correr o risco de errar o título de nenhuma delas — veja que, com isso, não ouso compará-la à obra-prima do The Weeknd, House of balloons.

É que Rakim Mayers, 23, junto com meia dúzia de produtores, usa os samples de maneira surpreendentemente orgânica para um first timer: um rap tipicamente da costa leste — com descarada influência do Wu-Tang Clan –, chegado a timbres de jazz, mas com ecos vocais e sonoros que lembram os abusados do Odd Future ou a língua solta do Lil B — “for instance, I get-get my dick licked”, ele observa, em Keep it G. Vale acompanhar o 2012 do coletivo ASAP (ou A$AP; Always Strive and Prosper).

As três mais: Get lit (feat. Fat Tony), Keep it G (feat. Chace Infinite & SpaceghostPurrp) e Houston old head.

Em verso: These bitches is persistent, talking about I’m distant / Lost my mind a long time ago to find it, need forensics (Keep it G).

Youth Lagoon

The year of hibernation (Fat Possum). 4/5

Aham, tô sabendo que todo mundo já escutou esse disco e que ele é um dos melhores trabalhos de estreia do ano. Só comecei a escutar semana passada — o atolamento de torrents faz isso. Atraso tirado, vamos ao que interessa. O novato Trevor Powers, 22, nome real do Lagoon, me impressionou muito: o dream pop dele guarda alguma semelhança com, digamos, o Beach House do Teen dream, mas exibe ruídos lo-fi típicos de um estreante meio solitário, que gravou um disco homemade, do seu jeito.

Trevor não é irônico, ainda bem — uma nostalgia sem reservas –, e isso torna a audição de Year of hibernation uma viagem sonora de vozerios delicados e ambientações eletrônicas pontuadas por acordes de guitarra: faixas como Posters e July começam contidas, tímidas, e, no tempo certo, descortinam as melodias mais simples do ano. Simplicidade, aliás, é a última coisa que você espera de um disco de dream pop, não é mesmo?

As três mais: Posters, Afternoon e July.

Em verso: We scaled a ladder ascending to the roof / While five years ago I weeped and no one knew / Holding my guitar, I strummed a tune / I sang “I love you but I have to cut you loose” (July).

  1. Nenhum comentário ainda.
  1. No trackbacks yet.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: