Início > Cinema > Se beber, não case! 2

Se beber, não case! 2

Rapidinho — aqui é sempre assim, tudo com muita pressa, ainda mais quando se tem episódios pendentes de Fringe; rapidinho, algumas observações sobre o “subversivo” sequel-remake Se beber, não case! 2 (2.5/5). (Comentário pertinente: e tem “!” no título mesmo? Vi o primeiro sem saber, já li escrito com e sem, e acho que vou ficar até o cinco ou o seis sem saber ao certo se tem ou não “!”.)

Bem, Todd Philips me deixou muito desconfiado com essa continuação depois de Um parto de viagem: ele conseguiu tornar um road movie com Downey Jr. e Galifianakis — repito, com Downey Jr. e Galifianakis — uma coisa insuportavelmente aborrecida. Neste Hangover part II, a chateação vem depois da sessão: eu ri muito de cada absurdo — e como tem absurdo aqui, viu — e saí achando a sequência (in)decente se comparada ao original. Mas daí vem aquela sensação perturbadora de familiaridade: é praticamente um remake do primeiro filme, só que com a troca de locação — em vez de Las Vegas, Bangkok. Desta vez, o casamento é de Stu.

Referências às bobagens da noitada em Vegas aparecem com tanta frequência que me senti ofendido pelos roteiristas — e são três, Philips entre eles. Decidiram apelar para uma travesti thai — [spoiler inevitável] Stu, que se casou com uma prostituta no um, aqui transa com uma shemale [/spoiler inevitável] –, um macaquinho junkie com jaqueta dos Rolling Stones, mutilação de dedo, quilos de cocaína, uma réplica da taguagem do Mike Tyson, o próprio Mike Tyson — isso foi fucked up –, dezenas de “holy shit”, “holy fuck”, “fuck you”, um monge ninja e, ainda a melhor coisa dos dois títulos, um Zach Galifianakis sutilmente dominando mais uma vez. Ele não precisa dizer nada. Ele só precisa aparecer na tela. E você não precisa se esforçar muito para rir bastante dele e do que ele faz — ou do que ele não faz.

Anúncios
  1. Gláucia Chaves
    maio 31, 2011 11:40 am às 11:40

    Ahh, tu é muito xiita. Sério que vc esperava um roteiro diferente? Continuação de filme de comédia é sempre o mesmo filme… Mas repito o comentário que fiz no cinema: se o filme fosse 2 horas só com a cara do Bradley Cooper, já valia o ingresso.

  2. Felipe Moraes
    maio 31, 2011 12:17 pm às 12:17

    hahahah mas o 3D foi legal

  1. No trackbacks yet.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: